segunda-feira, 25 de junho de 2012

Agenda Cheia!!!


       Além de ser um ateliê de restauração de móveis abandonados nas ruas, a Caçambaria também incentiva a qualidade de vida das pessoas. Para acreditar em um mundo melhor é necessário incentivar o desenvolvimento cultural e artístico, prezar pela boa leitura, pela boa música e por tornar o planeta mais colorido, essas atitudes também são uma proposta desse projeto.

         Falando em boa musica, no último sábado (23/06) a Secretaria de Cultura e Turismo de Jaú realizou em parceria com a Secretaria do Estado da Cultura o show da cantora Tulipa Ruiz, por se tratar de uma trilha sonora freqüente no ateliê e por ser fonte de inspiração na concepção de vários móveis. Pensei: Ela precisa levar um móvel da Caçambaria! Como eu estava produzindo o evento, afinal também faço parte da equipe da Secretaria de Cultura, foi super simples entregar o móvel, mas o mais legal foi à reação dela.


          A Tulipa é uma graça, simpática, agradável, super artista enfim! O móvel foi para cima do palco onde foi colocada aquela clássica tulipa inflável que a acompanha em todos os shows. Após o show o móvel foi embora para morar em um lugar super especial, segundo a Tulipa, em um lugar privilegiado em sua casa.
         Mantendo a programação cultural do final de semana, no domingo (24/06), em parceria com a 3ª Virada Ambiental da FATEC , com a Academia Jahuense de Letras e a OSCIP Literatus, estivemos no Parque do Rio Jaú para divulgar o projeto e mostrar o que pode ser feito com o “lixo” que as pessoas insistem em jogar na rua.
         Montamos uma salinha de leitura com os móveis do projeto e os quadros da artista plástica Shantall, livros dos acadêmicos e oficina de “zini” da Literatus, representando o projeto estava meu fiel escudeiro Bruno Liziero.
         Em breve estaremos em mais eventos culturais e lembrem-se para levar uma vida mais colorida: contato@cacambaria.com.br  

quarta-feira, 20 de junho de 2012

Começando...


        A Primeira postagem do Caçamba Blog não podia ser outra, tudo tem um começo, um meio e um fim... Será?
        Quando queremos comprar qualquer coisa pensamos: o quanto é bonito, o quanto se quer comprar, em quantas vezes divide no cartão, e fica esquecido o quanto se precisa, mas principalmente, o que vou fazer com isso quando não quiser mais?

Foto do 2º dia de coleta do Cidade Limpa - Jaú
        O ato de comprar deve ser avaliado como um ato político, para isso é necessário que o consumidor compreenda toda cadeia produtiva, e assim perceba que o ato de consumir não está isolado em uma só ação, a de comprar.
         Na última semana tive a oportunidade de assistir de perto o descaso da sociedade em se desfazer de um bem. O município de Jaú recebeu o projeto Cidade Limpa, realizado pela filial da rede Globo, TV TEM, trata-se de um projeto que buscar limpar os municípios para evitar o alastramento de doenças. A iniciativa é formidável, o mutirão é super funcional, mas, o que não funciona é a forma como as pessoas descartam suas coisas. Eu fui até o depósito desse material e tive algumas surpresas.


        Trata-se de móveis em estado de uso, mas quem quebram com o transporte e carregamento, móveis que poderiam ajudar muita gente, virar peças lindas, como propõe a Caçambaria, e assim melhorar a vida das pessoas.
        O ato de abandonar um objeto na rua não isenta a responsabilidade da pessoa que o comprou pelo desgaste ambiental que ele proporcionará, por isso, antes de sair comprando coisas e jogando-as por ai, verifique se não tem ninguém precisando, se essa é realmente a melhor maneira de se livrar dela, ou então mude seu móvel, dê uma cara nova na sua casa de uma maneira sustentável e econômica, a Caçambaria pode te ajudar nisso! O fim pode ser muito mais colorido e feliz.